6 fatos curiosos sobre a floresta amazônica

63

1 – Pode ser considerada o pulmão do mundo?

Fonte da imagem: http://edgblogs.s3.amazonaws.com/planeta/files/2013/06/amapa.jpg

Ao contrário do pulmão, as plantas têm um importante papel na produção de oxigênio, através da fotossíntese, elas absorvem o gás carbônico, energia luminosa e água para gerar mais oxigênio. Devido a este fator, este processo biológico é considerado um dos mais importantes do mundo. A floresta Amazônia é uma grande produtora de oxigênio, mas foi atribuída erroneamente como pulmão do mundo. Pesquisadores afirmam, que o oxigênio gerado pela Amazônia, nem se compara as algas marinhas. São as algas que fazem a maior parte desse trabalho, elas jogam na atmosfera cerca de 55% de todo o oxigênio produzido no planeta.

A confusão de ter atribuído a floresta Amazônia como” pulmão do mundo “ começou quando se esqueceram de que as florestas também liberam gás carbônico, através da decomposição dos troncos, galhos, folhas e animais mortos e pela própria espiração. Pode se concluir que, as florestas consomem quase todo o oxigênio que liberam.

2 – Área desmatada equivalente ao tamanho de um país

Fonte da imagem: http://amazonia.org.br/wp-content/uploads/2012/08/desmatamento-da-amazonia.jpg

A floresta amazônica perdeu cerca de 222.249 quilômetros quadrados de floresta, equivalente ao tamanho do Reino Unido inteiro. Os estudos realizados apontam que os estados mais atingidos foram Pará, Rondônia e Mato Grosso. A maior parte se encontra em áreas privadas e assentamentos.

Em uma conferência realizada em 2008, o Brasil prometeu zerar o desmatamento e recompor os 12 milhões de hectares desmatados em até 2030. Porém as florestas ainda sofrem, principalmente com o corte ilegal de árvores, destinadas ao comércio ilegal de madeira (fator que mais contribui). As queimadas ilegais para abertura de pastagens para o gado ou áreas agrícolas também tem contribuído bastante para a degradação da Amazônia.

3 – A origem do nome

Fonte da imagem: http://3.bp.blogspot.com/-dJiQ1BbA20A/Vbec65WnZyI/AAAAAAAAg-s/2CHwpnH1EIA/s1600/Rstenven36.jpg

O nome originou-se devido aos antigos habitantes da floresta. Em uma das expedições europeias, em 1542 um grupo de exploradores europeus liderado pelo espanhol Francisco de Orellana, foram confrontados por mulheres nuas que usavam arco e flecha, no rio Amazonas. Ao saber da notícia do ataque o Rei Carlos V, batizou o rio de Amazonas em homenagem a estas mulheres guerreiras. Amazonas na mitologia grega não aceitavam homens em suas tribos. Assim, ele deu este nome baseado em sua crença na mitologia.

4 – areia do Saara fertiliza a floresta Amazônica

Fonte da imagem: https://i.pinimg.com/originals/32/7f/0b/327f0b03604844699f8658dc14e2e74c.jpg

Por mais que pareça estranho, uma grande quantidade de areia do deserto Saara percorre quilômetros e chega até a floresta amazônica aqui no Brasil, no qual é muito importante para manutenção da mata.

Em 2015 a Nasa realizou um estudo comprovando o transporte da areia e a quantidade de areia e nutrientes transportados entre o deserto do Saara e a floresta Amazônica. Os dados coletados pelo satélite da Nasa entre 2007 e 2013 mostram que a cada ano, o vento carrega 182 milhões de toneladas de poeira da região oeste do Saara, desse total 27,7 milhões de toneladas são depositadas na bacia do rio Amazonas, o restante cai no oceano Atlântico ou continua a viagem até o Mar do Caribe.

5 – É habitada por mais de 11 mil anos

Fonte da imagem: https://i2.wp.com/portal.inpa.gov.br/images/noticias/MillikenRBGKewYanomamiZanthoxylum.jpg?resize=608%2C345

Pesquisadores coletam indícios na Serra dos Carajás que comprovam que a existência de índios na área já ocorria a mais de 11 mil anos atrás. Em diferentes lugares, antigas populações indígenas selecionaram e manipulavam plantas úteis. E suas práticas resultaram em paisagens que até então eram consideradas naturais. Este processo cultural de milênios de simbiose entre populações humanas e florestas é um legado que vem sendo bastante estudado pela ciência.

6 – Noruega já investiu mais de 1 bilhão em recursos para a preservação da floresta amazônica.

Fonte da imagem: https://wricke-touristik.de/files/wricke-touristik/katalog/Katalog%202019/Traumhaftes%20Norwegen/Fischerdorf%20n%C3%A4he%20Flam.jpg

Em 2008 o governo da Noruega ajudou de forma significativa a preservar a floresta amazônica. Os relatórios de desmatamento obtidos pelo sistema brasileiro de monitoramento dos desmatamentos, convenceu o governo norueguês a doar cerca de US$ 1 bilhão para utilizar em recursos que destinam proteger a maior floresta da América. Anualmente o governo da Noruega contribui com cerca de 500 milhões em ações contra o desflorestamento. O valor doado ao Brasil, foi a maior contribuição de todos os tempos. Os motivos dos investimentos são para reduzir as emissões de carbono responsáveis pelo aquecimento global.

Fonte do artigo: https://www.megacurioso.com.br
https://www.oi.com.br/poeira-do-saara-fertiliza-floresta-amazonica/
https://www.museu-goeldi.br/em-carajas-estudos-comprovam-a-origem-antropica-da-floresta-amazonica
http://floresta-amazonica.info/

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você aceita, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceito Leia Mais